Jamila Mafra
Site Oficial da Autora
CapaCapa Meu Diário TextosTextos E-booksE-books FotosFotos PerfilPerfil Livros à VendaLivros à Venda Livro de VisitasLivro de Visitas ContatoContato LinksLinks
14/10/2018 21h00
Viagem No Espaço e a Máquina do Tempo eBook Kindle

Viagem No Espaço e a Máquina do Tempo eBook Kindle

https://lnkd.in/d8zFHy4

 

 

Uma viagem de lindas palavras que encantam o coração,

Revelando mil histórias em forma de canção.

 

 

 

 

Palavras carinhosas que nos chegam ao ouvido,

 

 

Um presente especial, amado e querido.

 

 

Poesias encantadas, repletas de muito amor,

 

 

Presenteando com carinho cada leitor.

Ao final da leitura

Uma certeza vamos ter:

 

 

 

 

 

 

Este livro proporciona a quem o lê

 

 

Um misto de alegria e prazer.

 

 

Prepare-se para iniciar uma fantástica jornada  através do tempo e do espaço.Você vai conhecer a magia dos mistérios de galáxias, estrelas e outros universos. Você vai descobrir a vida em mais de 1000 planetas e mergulhar no incrível oceano da criatividade e fantasia da sua mente. E desse modo perceberá que todos temos uma poderosa máquina que nos transporta através das épocas. Em Viagem No Espaço E A Máquina Do Tempo a imaginação, o passado e o futuro se encontram em um único momento : o agora.

 

 

 

 

 

 

#jamilamafra #livroinfantil #infantil #escritacriativa #poesia #poema

 

 

 

 

#autora #escritora #leitura #literatura #crianças #estrelas

 

 

 

 

#ViagemnoEspaço #nave #espacial #MáquinadoTempo #tempo

 

 

 

 

#espaço #boanoite #leitores #domingo #escrever #Amazon #palavras

 

 

 

 

#versos #históriasparacrianças #infantojuvenil #estrelas #planetas

 

 

 

 

#constelações #brilho

 

 


Publicado por Jamila Mafra em 14/10/2018 às 21h00
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
17/07/2018 18h08
A Festa do Sol

Disponível na Amazon:

https://www.amazon.com.br/dp/B07FN4ZY8L?qid=1531861484&refinements=p_27%3AJamila+Mafra&sr=1-1&text=Jamila+Mafra&ref=sr_1_1

O Sol fez uma festa,
Convidou toda a luarada
E as paredes
Foram enfeitadas 
Com margaridas de ouro estreladas.

Histórias em versos para alegrar a aguçar a imaginação das crianças e de todos os leitores que amam a poesia.


Publicado por Jamila Mafra em 17/07/2018 às 18h08
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
17/07/2018 18h01
Meu Jardim Secreto

Livro completo na Amazon: 

https://www.amazon.com.br/Meu-Jardim-Secreto-Jamila-Mafra-ebook/dp/B07F5ZRT4C?qid=1531860967&refinements=p_27%3AJamila+Mafra&sr=1-8&text=Jamila+Mafra&ref=sr_1_8

Poesia 1
DOR INVENCÍVEL


Ter amado você
É uma lembrança inesquecível.
Não poder mais te amar
É uma dor invencível.

Você me segue com olhos,
Com o pensamento,
E essa distância
Ainda não é suficiente
Para apagar toda a lembrança.

Hoje achei a roupa que eu usava
Quando você estava comigo,
Na vida Infelizmente o tempo passa,
Voltar no tempo é impossível!
 
Ficar contigo era improvável
E apesar de ser difícil
Aproveitamos os segundos
Pra não ficarmos tão sozinhos.

Os motivos foram vários
Para não ficarmos juntos,
O tempo é mesmo ordinário,
Passa e acaba com tudo.

Ter amado você
É uma lembrança inesquecível.
Não poder mais te amar
É uma dor invencível.

 


Publicado por Jamila Mafra em 17/07/2018 às 18h01
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
17/07/2018 13h49
New York Forever, A Moment To Love (English Edition)

Available on Amazon:
https://www.amazon.com/New-York-Forever-Moment-Love-ebook/dp/B07FC41Q9X/ref=sr_1_1?ie=UTF8&qid=1531845616&sr=8-1&keywords=jamila+mafra&dpID=61F%252BEJ3ANPL&preST=_SY445_QL70_&dpSrc=srch

THE DREAM
 

Cristina was excited with the news she had just received, she was jumping and shouting as she entered her little sister’s bedroom:
“Amanda! Amanda, my dear!”
“What’s going on?”
“You won’t believe!”
“What happened?”
“It worked! I made it!”
“What worked? Why are you screaming? You can barely breathe!”
“I’m going to the United States of America! I was accepted for an exchange program and I got my visa for work!” breathless revealed the news.
Amanda raised her eyebrows surprised after seeing her sister so excited.
“Calm down, Cris! Speak slower, no screaming, and breathe. So, you finally got accepted for the babysitter exchange thing?”
She took a deep breath, tried to calm down and explained:
“Yes, I made it! Well, my dream will come true! I’m flying to New York this week already! Everything is already set up.” shouted excited.
“It’s great that everything worked out well after trying for so long. But do you really believe that you’ll have a future working as a babysitter over there? Think about it, things are not as easy as they seem to be.” Amanda questioned her in an almost demotivating tone.
“Of course I will have a future in the USA! That is all I ever wanted! At first I will stay there for two years. I know that it won’t be easy and that being just a babysitter is not great for those around me and for those that criticize me, but if I don’t try this way I will probably regret for the rest of my life.” Defended her dreams once more.
Cristina was only nineteen years old and had many dreams she wanted to come true. There were so many expectations held in that girl’s heart.
Her passion for the United States began early in life, in her childhood she would always repeat that she really wanted to live in Los Angeles or New York, be a famous actress, and conquer the world. In her teenage years she worked and saved up money so one day she could leave. She studied English for a long time, until the point she was speaking fluently, finally, she acted as if everything had always been about to happen.
Her father Santiago Rodriguez, simple man, owner of a small workshop in the neighborhood Republica, Colobian immigrant that for decades has adopted Brazil as his home, and her mother Sofia Mueller, Brazilian straight from São Paulo, her ancestors are German European, She is a school teacher. At first they didn’t approve the idea of their daughter leaving with an uncertain future to a strange land.
“I don’t understand you Cris, going to the USA take care of children, if you’re going just to be a babysitter you can stay here, go to college and do something better than this.” Santiago used to comment not understanding his daughter’s reasons.
“I would even work collecting cardboard in the streets if I had to, just to stay in the United States. To be and to live there are the most important things for me. I will go because it is my dream, this is my will! That’s why the majority of the people are not happy; they diminish themselves because of the opinion of other people so they are afraid of following their own will. But I’ll follow my dreams, even if the whole world is against me” reinforced her idea as someone who defends the most noble ideal.
One day before her trip, anxious, Cristina packed, Amanda helped her to choose the clothes and winter coats and she said:
“You were indeed very brave and persistent in your ideals during all these years, now here we are finally packing so you can go to the so longed America. I remember very well when people asked you why you did you buy so many heavy coats if here in São Paulo is not even that cold.”
“They thought I was crazy for spending so much money for apparently nothing.”
“You would say that you wouldn’t use it here, but only you would be in the cold winter in the USA. Now your time to live your dream is finally here.”
“I can’t believe I’m leaving to the place of my dreams! I am so happy. I will make a snowman on my front yard!”
“The sparkle in your eyes confirms all your words, my sister. I’ve never seen someone love a country as much as you love United States of America.”
They hugged each other.
 
***
 
Accompanied of Amanda and her parents, inside of the car, on their way to the Guarulhos International airport, Cristina could not hide her anxiety, observing through the window the things that were happening outside and the avenues that seemed to have no end, she chewed her nails.
 
***
 
“God be with you, my sister, I wish you the best of luck. Who knows, maybe I will come to visit you there.”
“I’ll be waiting for you, Amanda. We will go shopping together at Times Square, it will be amazing – Cristina affirmed.
“Daughter, be careful, you will be alone, don’t make decisions without calling me, call me and text me. I trust you!” Sofia gave her a hug, and then gave her a kiss on the cheek.
“Cris, take care. Your dad will always be here waiting for you.” Santiago also gave her a strong hug.
The traveler’s heart was beating faster and faster as she was getting closer to the plane, when she set down she felt the she was on her way to the most unexpected experiences.


Publicado por Jamila Mafra em 17/07/2018 às 13h49
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
17/07/2018 12h47
Páginas de Um Sonho

Disponível na Amazon: 
https://www.amazon.com.br/P%C3%A1ginas-Um-Sonho-Jamila-Mafra-ebook/dp/B07F6WM7WG?qid=1531838956&refinements=p_27%3AJamila+Mafra&sr=1-2&text=Jamila+Mafra&ref=sr_1_2

ENCONTRO

Aquela manhã de inverno mudou para sempre o meu destino. Há coisas que não são possíveis de explicar. Há tempos eu ouvia falar que minha irmã mais nova, a Paloma, tinha um amigo gay na escola. Eles cursaram juntos o último ano do Ensino Médio.
Confesso que às vezes eu até achava engraçadas as histórias que ela me contava sobre as aventuras que vivia com esse tal Diego Ricardo. Na ocasião, ele acabara de completar dezoito anos, era alto, magro, cabelos pretos, moreno claro, sorriso lindo!
Geralmente os gays são pessoas divertidas e entusiasmadas, são sensíveis e entendem a alma feminina. São apaixonantes e não tem jeito!
Naquele mês de julho eu visitava meus pais Valéria e Joaquim. Era meu período de férias do trabalho e do último ano da faculdade de Letras, a qual eu cursava no período noturno, na Universidade de São Paulo. Durante o dia eu lecionava Língua Portuguesa e Inglesa como professora estagiária no colégio particular Dom Giovanni, no centro da capital paulista.
Meus poucos vinte e um anos ainda não eram suficientes para que eu entendesse os caminhos pelos quais a vida estava me levando.
O frio do sul brasileiro congelava até os ossos, a cidade de Florianópolis tinha mínimas de 0ºC. Naquele momento, usávamos casacos de lã, sobretudos, meias, e do lado de fora até cachecol e luvas.
Diego Ricardo entrou pela porta da sala. Eu estava com a Paloma, sentada no sofá. Amávamos assistir a DVDs de clipes de cantores internacionais.
— Joice! Olha quem chegou! Meu amigo que é um luxo! – Paloma exclamou e já se levantou, indo ao encontro do amigo.
Ela se pendurou no pescoço do Diego e deu-lhe um beijo estalado no rosto.
— Diego, essa é a Joice, minha irmã de São Paulo. Ela está passando uns dias de férias aqui conosco – disse ela, sorridente.
— Oi, Joice! Muito prazer! Sua irmã fala muito de você. – Diego me lançou o sorriso mais lindo que recebi naquele dia.
— Oi, Diego. O prazer é meu. A Paloma também fala muito de você. Eu estava curiosa pra te conhecer. Juro que sim.
— Espero que ela fale bem.
— Ela me conta as aventuras que vocês vivem juntos. Confesso que até senti inveja de vocês. Queria ter um amigo assim, com quem eu pudesse viver tantas aventuras.
Em menos de trinta minutos de conversa, o Diego já me perguntou se eu tinha namorado.
— Não, eu não tenho – respondi sem graça.
— Jura? Você é uma mulher tão bonita e inteligente. Como pode não ter namorado?
— Pra você ver como as coisas são difíceis hoje em dia – respondi, em tom de desesperança.
Ele sorriu.
Eu não alimentava ilusões de um amor de conto de fadas, eram apenas sonhos.
O Diego ficou encantado por saber que eu estudava Letras e escrevia. Contei-lhe algumas de minhas histórias. Não demorou muito e, durante o resto daquele dia, ele já estava como que hipnotizado, sentado ao meu lado, me olhando, prestando atenção em cada palavra que saía da minha boca.
Tivemos uma afinidade imediata. Foi como se já nos conhecêssemos há muito tempo, há muitos anos, algo difícil de explicar com palavras.
Logo ficaria tudo claro. No fim, tudo ficou parecido com aquela música do Bee Gees que diz “Eu comecei uma piada que fez o mundo inteiro chorar, mas eu não vi que a piada era eu. Eu comecei a chorar, o que fez o mundo inteiro rir.  Ah, se eu apenas tivesse visto que a piada era eu, que a piada era eu.”
Meu maior defeito era ser sentimental demais, romântica em excesso. Qualquer sorriso, elogio ou abraço, já me fazia sonhar alto, enxergar possibilidades que as pessoas comuns talvez nem cogitassem, me faziam fantasiar romances, cenas improváveis! Não acredito que fosse carência, até porque sempre vivi muito bem sozinha, e até preferia assim.
Quando era criança, eu sentia uma compaixão extrema e perturbadora toda vez que via alguém sem um braço, sem uma perna ou na cadeira de rodas. Eu começava a chorar e me perguntava o que a pessoa tinha feito de errado para merecer algo tão ruim como aquilo. Mas a minha mente infantil ainda não entendia que essa era a realidade da vida e do mundo.
O único problema foi que a vontade de me isolar do mundo e de evitar relações que me machucassem não deu muito certo. Para dizer a verdade, não deu nada certo. Pior ainda eram as rejeições e críticas que também tinham um peso enorme no meu coração dilacerado pelo romantismo.
As coisas boas e ruins me feriam do mesmo jeito, com a mesma intensidade. As boas porque eu tinha medo de perdê-las, e as ruins porque eu temia que nunca acabassem.
No final das contas, meu receio tinha total fundamento. As coisas boas terminaram, outras vieram em seu lugar, mas a verdade é que os momentos nunca se repetem. E quanto às dores, estas são constantes. Faz parte da vida chorar, superar e seguir.
As pernas exigem que caminhemos mesmo sem vontade. Ainda que não queiramos, os olhos se abrem depois que o sol nasce, forçando-nos a abandonar a cegueira vinda da escuridão. Enfim, a gente sempre acaba encontrando um jeito de viver sem alguém que amamos ou sem aquilo que tanto desejamos, mesmo que seja comendo muito chocolate.
 Os sorrisos mudam, os corações mudam, as ilusões mudam, os momentos mudam o tempo todo, e por mais que eu quisesse congelar dentro de uma caixa tudo que eu mais desejei, não seria possível.


 


Publicado por Jamila Mafra em 17/07/2018 às 12h47
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.



Página 1 de 5 1 2 3 4 5 [próxima»]